Sexta, 15 de novembro de 2019
47 99609-9282
Brasil

04/11/2019 ás 15h49

AdminX

Itapema / SC

Polícia intercepta ordem do PCC para matar promotor do Gaeco
Ação seria represáli por transferência de presos
Polícia intercepta ordem do PCC para matar promotor do Gaeco
Divulgação - Internet

Foi descoberto um novo plano para matar o promotor de Justiça Lincoln Gakiya, integrante do Gaeco (Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de São Paulo e responsável pela transferência do traficante Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder do PCC (Primeiro Comando da Capital) para um presídio federal. Outros 21 membros da Facção também foram transferidos.


A ordem foi encontrada em um bilhete interceptado em um presídio do interior de São Paulo. "Matar tanto o promotor da Gaeco e sua escolta policial", dizia o bilhete. "Ninguém deve ficar vivo." A carta é assinada por Gabriel Nekis, que se identifica como afilhado de Marcola, preso na penitenciária de Presidente Bernardes, em São Paulo.


A carta estava oculta no cós da calça do preso. Possivelmente seria entregue a uma advogada para ser levada a Tony Ricardo, outro preso que cumpre pena na P2 de Presidente Venceslau, no raio 1, que era habitado por Marcola. A pedido da Justiça, foram cumpridas buscas em endereços ligados a presos do grupo. Os locais serviriam para guardar as armas e abrigar membros da organização que viriam do Paraguai e da Polícia. Foram encontrados documentos, cartas, salves, recibos, telefones, mensagens. Segundo as investigações, drones estariam sendo utilizados para monitorar a casa em que Lincoln vive com a família. A polícia investiga também se advogados de presos atuam como informantes.


Após a interceptação do bilhete, dois detentos estão em isolamento e devem cumprir pena sob o regime disciplinar diferenciado que prevê regras mais rígidas. É possível que eles sejam transferidos para presídios federais.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados